quarta-feira, 30 de maio de 2012

[Orlando] Basquete!

Como eu já disse em outros posts, Orlando é mais do que parques e compras e um dos programas legais que se tem para fazer lá é assistir a um jogo de basquete da NBA. O time é o Orlando Magic e todos os jogos ocorrem no Amway Center, uma arena de ultima geração que foi construída em Orlando e que não só tem os jogos de basquete, como também é palco para shows em geral (programação aqui).

Fonte: site Orlando Magic

A ida ao Amway Center já vale só pelo local, que foi construído muito recentemente (a obra foi concluída em 2010) e é parte de um plano de revitalização de Downtown Orlando chamado Downtown Master Plan 3, que inclui ainda o lançamento de outras construções no entorno da arena.

Fonte: site Amway Arena

Além disso, as quadras de basquete americanas são incríveis e ver um jogo é algo que todo mundo deveria fazer ao menos uma vez. Atualmente, a temporada de basquete já esta acabando e o Orlando Magic não está jogando (foi eliminado pelo Indiana Pacers nas quartas de final), mas a partir de julho eles já estarão vendendo ingressos para a temporada 2012/2013, cuja pré-temporada começa em meados de outubro e os jogos pra valer devem começar em dezembro. Se você planeja ir a Orlando nessa época, é um ótimo programa para se fazer.

Para mais informações sobre ingressos, clique aqui.

terça-feira, 29 de maio de 2012

[NY] Pizza em NY

Um programa muito legal de se fazer, e bastante desconhecido dos turistas em NY, é ir comer pizza no Grimaldi's, no Brooklyn, pizzaria que já foi eleita a melhor de NY pelo Zagat e uma das 5 melhores dos Estados Unidos pelo Food Network.

A Grimaldi's Pizzeria é bastante famosa em NY, não somente pela pizza deliciosa, como também pelo fato de que a pizza é assada em um forno com carvão, o que dá uma crocância indescritível na massa. O resultado é que o restaurante, que já não é muito grande, está sempre lotado e com uma mega fila na porta, mas que honestamente, vale a pena esperar.


Lá dentro é tudo muito simples, ambiente basicão e as mesas são super grudadas, todo mundo senta muito perto um do outro, mas a pizza chega rapidinho e é super saborosa, como vocês podem ter uma idéia pelas fotos:




Dica Yes You Can Travel: Uma boa dica de passeio é cruzar a Brooklyn Bridge andando, quando chegar no Brooklyn, descer as escadas da ponte e pegar a Washington street, descendo em direção ao Brooklyn Bridge Park (um dos locais com a vista mais linda de Manhattan), passear um pouco por ali, e depois seguir para a Front St., onde fica a Grimaldi's Pizzeria e fazer uma refeição por lá. Depois dá para voltar andando e cruzar a ponte novamente, ou se o cansaço estiver maior, pode-se pegar o metrô (linhas A/C) na High St., ao lado do Brooklyn War Memorial.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

[Orlando] Outlets

Acesse esse post no nosso novo blog: 
http://www.yesyoucantravel.com/2012/05/28/orlando-outlets

***

Uma das grandes vantagens de Orlando é que, além de se divertir nos parques, você pode aproveitar a viagem para também renovar o guarda-roupa a preços muito mais atrativos do que os absurdos que vemos aqui no Brasil, mesmo nas lojas de marcas mais caras.

Nas lojas espalhadas pelos shoppings da cidade os preços, mesmo em dólar, já são convidativos, mas é nos Outlets que a coisa realmente fica obscena de tão barato que é. A idéia do outlet é ser um centro com lojas de várias marcas com desconto em suas coleções e aí sempre varia um pouco, tem loja que coloca a coleção anterior, tem loja que coloca parte da coleção nova e parte da anterior, tem loja que só coloca itens mais classicos da coleção, e tem loja que tem as mesmas coisas da loja normal, só que com um pouco menos de variedade de peças (é o caso da American Eagle Outfitters, por exemplo).

Em Orlando, há dois Outlets bem conhecidos, que são da rede americana Premium Outlets, espalhada nos EUA. Um fica na International Drive e o outro fica na Vineland Avenue, em Lake Buena Vista.

Orlando Premium Outlet (Intl Dr.) - esse outlet é uma reforma de um super antigo que existia no lugar, chamado Belz (quem foi a Orlando nos anos 80/90 sabe do que eu estou falando) e apesar de um pouco menor do que o outro outlet, ele tem algumas lojas diferentes, como a Victoria's Secret (não é excelente, mas vale a pena dar uma olhada), Forever 21, e é bem perto dos parques  Universal Studios e Islands of Adventure, então pode ser uma opção pós parque (já que os outlets só fecham às 23h). Para mais informações sobre esse outlet (lista de lojas, endereço, etc), clique aqui

Fonte: site Orlando Premium Outlet

Orlando Premium Outlet (Vineland Ave.) - esse é o outlet que já existe há mais tempo. Também é maior e particularmente é o que mais gosto, pois as lojas são melhores, tem mais opções/números/modelos de roupas, o espaço é mais amplo, então acho mais tranquilo para andar pelo outlet e como eu sempre me hospedo em Lake Buena Vista, é mais perto para depois retornar ao hotel. Nesse outlet as lojas também só fecham às 23h e ele fica bem perto dos parques Disney, sendo uma boa opção para o fim do dia, principalmente no dia de visita ao Animal Kingdom, que é um parque que fecha mais cedo do que os demais. Para mais informações sobre lojas, endereço, etc, clique aqui.

Fonte: site Orlando Premium Outlet

Lake Buena Vista Factory Stores - esse outlet é mais recente e fica bem perto do Premium Outlet da Vineland Avenue. Tem como vantagens o fato de ser menos conhecido e consequentemente, mais vazio e com as lojas mais organizadas. Não tem tantas opções de lojas como os outlets da marca Premium, mas pode ser uma boa alternativa para quem quer fugir das multidões e busca coisas maia básicas. Para mais infos, clique aqui.


Fonte: site Lake buena vista factory stores

Dica Yes You Can Travel - uma boa dica para quem vai a esses outlets é adquirir no Information Center, localizado na praça de alimentação desses outlets, um livro de cupons de desconto por USD10,00. Esse livro tem cupons para todas as lojas e traz descontos adicionais aos já praticados em cada loja, o que faz com que você ainda economize mais nas suas compras.

sábado, 26 de maio de 2012

[NY] Compras - Paragon Sports

Se você é aficionado por esportes, profissional da área ou curte fazer exercício, vai amar a loja Paragon Sports. Localizada em Union Square, a Paragon foi fundada em 1908 e desde então é uma referência em produtos esportivos, incluindo produtos para camping.


Com 3 andares e mais de 50.000 itens, a loja é um parque de diversões para todos os gostos esportivos, veja alguns exemplos abaixo (clique nos links para ver alguns produtos disponíveis on-line):

  • futebol (uniformes oficiais e vestuário, chuteiras, meias, bolas, caneleiras, apitos e bolsas)
  • vôlei (vestuário, tênis, meias, bolas, redes e joelheiras)
  • baseball (uniformes oficiais e vestuário, luvas, bolas, tênis, bonés, máscaras e tacos)
  • futebol americano (uniformes oficiais e vestuário, bolas, tênis, bonés e gorros)
  • basquete (uniformes oficiais e vestuário, tabelas, tênis, meias, bonés, bolas e apitos)











  • corrida (camisetas, regatas, shorts, bermudas e casacos dry-fit, tênis, meias, bonés e monitores cardíacos) Dica: aproveite a esteira para verificar sua pisada e escolher o melhor tênis para seu pé!
  • tênis (camisetas, regatas, shorts, bermudas e casacos dry-fit, tênis, bolas, meias, bonés, raquetes, bolsas, mochilas e cordas) Dica: compre sua raquete na loja e deixe a equipe da Paragon encordoá-la!
  • boliche (vestuário, tênis, bolsas, toalhas e bolas)
  • ping-pong (raquetes e bolas)
  • boxe (luvas, sacos de treino, roupão, proteção dental, bolsas, sapatilhas e máscaras de proteção)
  • bike (camisetas, regatas, shorts, bermudas e casacos dry-fit, tênis, meias, bonés, monitores cardíacos, bicicletas, capacetes e trancas)
  • golfe (camisas, calças, tênis, bonés, tacos, bolas e luvas)

 







Além disso, milhares de produtos para camping, dardos, hockei, patins, mergulho, skate, esqui, snowboarding, squash, surfe, natação, lutas, spinning e muito mais!!
Dica Yes You Can Travel: um programa bem legal para fazer em Union Square é tomar café da manhã ou brunch no Max Brenner (especialidade: chocolate, leia resenha gastronômica aqui) depois passear na Union Square Greenmarket, feira livre orgânica (segundas, quartas, sextas e sábados de 8hs às 18hs) e depois se esbaldar na Paragon! Tudo pertinho!!
 
A Paragon fica na 867 Broadway com a 18th Street, em Union Square. Fica aberta de segunda a sexta de 10hs às 20:30hs, aos sábados de 10hs às 20hs e aos domingos de 11hs às 19hs. As melhores linhas de metrô para chegar a Union Square são: L/N/R/Q/4/5/6.
.
Boas compras!!!!!


quinta-feira, 24 de maio de 2012

[NY] Bleecker St.

Todo mundo tem lugares que são especiais e que só trazem coisas boas na vida, daqueles que só de você estar ali, respirando aquele ar, tendo aquela vista, você já está feliz. Um dos meus lugares é a Bleecker St., em Nova York.

A Bleecker fica no Village e se estende por várias ruas e conforme você vai andando, o clima dela vai mudando, o que é muito interessante. Quando você começa a andar nela no East Village, perto da Bowery St., o ambiente é mais residencial, com alguns restaurantes e cafés, como o Noho Star, o Cafe Angelique e o Le Pain Quotidien (ótimo para tomar café da manhã). 
Fonte: Google Earth
Conforme chagamos no cruzamento com a Broadway Ave., o movimento aumenta muito e já vemos lojas, como a Swatch, a farmácia Duane Reade (maravilhosa, assunto para outro post) e um restaurante super aconchegante chamado Corner Shop Cafe, que um dia já foi quase minha segunda casa, de tanto que ia lá.

Fonte: site NYT
Continuando na Bleecker, passamos novamente por uma área mais residencial, formada por prédios da NYU, que fica localizada nessa área, e pelo supermercado Morton Williams, aberto 24h. 
A partir desse quarteirão (Bleecker com La Guardia Place), o ambiente muda bastante e até chegarmos na Bleecker com a 6ª avenida, o clima é de night, com muitos bares, pubs e casas de show. As pessoas têm mania de dizer que Nova York é a cidade que nunca dorme, o que é mentira, mas nessa parte da Bleecker a expressão cai como uma luva, a coisa fica animada por aqui até muuuito tarde. De locais famosos, há a casa de shows Poisson Rouge, o Cafe Wha?, o The Bitter End, dentre outros.
Quando a Bleecker cruza a 6ª avenida (facilmente identificável pela praça triangular que liga a Bleecker com a 6ª avenida e a Carmine St.), novamente o clima muda, e passa a ser mais gastronômico, começando pela deliciosa sorveteria italiana Grom, pela Trattoria Spaguetto, daquelas cantinas italianas boas e baratas, seguindo pelo Olivers & Co (marca de azeites), Amy’s Bread (padaria de dar água na boca) e Murray’s Cheese (melhor lugar para se comprar queijos em geral), dentre outros estabelecimentos (açougue, peixaria...). Costumo dizer que ali é o paraíso dos gourmets!

Cruzando a 7ª avenida, o clima gastronômico se mantém através de restaurantes super gostosos e da famosa Magnolia Bakery, mas ao mesmo tempo, entra um lado fashion da Bleecker, onde voce começa a ver diversas marcas espalhadas ao longo da rua. Ali encontramos o “império” Marc Jacobs (são 4 lojas - infantil, papelaria, Marc by Marc Jacobs e de acessórios - divididas em 2 quarteirões), Ralph Lauren, Reiss, Steve Madden, Intermix (multimarcas só de coisas top), Mulberry, MAC, Nars, dentre outras. Essa para mim é a parte “perdição” da Bleecker, pois as lojas são bem mais tranquilas (e menos turísticas) do que no resto da cidade e só tem coisa linda, impossível sair de lá sem pelo menos uma sacolinha!


A Bleecker vai nessa vibe fashion até o Abingdon Square, que cruza com a 8ª avenida. A partir daí a Bleecker torna-se Hudson st., e se você for olhar o mapa, ja estará bem perto do Meatpacking District, que também é uma parte da cidade muito gostosa para passear.
Sugestão Yes You Can Travel: separe ao menos uma manhã para passear na Bleecker e tente se organizar para almoçar por ali ou ao menos para para tomar um café. Para começar a andar a Bleecker a partir do East Village, pegue a linha 6 do metro, estação “Bleecker St”. Pelo lado do West Village, pegue as linhas 1 ou 2, estação “Christopher St.-Sheridan St”.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

[NY] Museu de História Natural

O Museu de História Natura de Nova York, ou American Museum of Natural History, ou melhor ainda, o AMNH, é uma das maiores instituições científicas do mundo. Desde a sua fundação em 1869, por Albert Smith Bickmore, tem a missão de descobrir, interpretar e divulgar informações sobre as culturas humanas, o mundo natural e o universo através de um amplo programa de pesquisa científica, educação e exposição. Hoje o Museu é conhecido mundialmente por suas exposições e coleções científicas.




Aberto diariamente de 10hs às 17:45hs (exceto nos feriados de Natal e Dia de Ação de Graças - Thanksgiving), ele fica localizado na Central Park West na altura da 79th Street (as melhores linhas de metrô para chegar lá são: C azul e B laranja - desça na estação 81st St - ou então as linhas 1-2-3 vermelha, desça na estação 79th St Broadway, um pouco mais longe).
As exibições permanentes como Hall of Human Origins (história da evolução do homem), Fossil Halls (dinossauros), Hall of Meteorites (meteoritos) e Hall of Ocean Life (ecosistema marítimo, com a exibição de uma impressionante baleia azul de 29m de comprimento!), são visitas obrigatórias. Veja a listagem e a descrição de todas as exibições permanentes, clicando aqui.




As exibições especiais dependem da época do ano e também são muito interessantes. Para verificar a listagem e a descrição de todas as exibições especiais no momento, clique aqui. Outra atração imperdível do Museu é o planetário (Hayden Planetarium) com a exibição Journey to the Stars, narrado pela Whoopi Goldberg. Veja o trailer da apresentação:



O ingresso custa $19 (adultos), $10.50 (crianças 2-12 anos) e $14.50 (idosos 60+ e estudantes com carteirinha internacional válida com foto). O detalhe é que se você achar que o ingresso está caro, pode negociar um valor mais “justo”. A política do Museu é que o valor do ingresso é sugestivo. Se essa moda pega aqui no Brasil... Uma observação importante é que esses valores dão direito à entrada aos 45 salões do Museu e ao Rose Center for Earth and Space, que mostram exibições permanentes, mas não aos anexos do Museu, como o planetário - imperdível!, exibições especiais e aos filmes nas enormes telas IMAX.


Se você optar para visitar esses outros locais do Museu, os preços sobem um pouco: $33 (adultos), $20.50 (crianças 2-12 anos) e $25.50 (idosos 60+ e estudantes) para o pacote completo, ou seja, ingresso com direito a tudo. Outra opção é o ingresso com direito ao Museu + Rose Center e a escolha entre o planetário OU exibições especiais OU IMAX por $25 (adultos), $14.50 (crianças 2-12 anos) e $19 (idosos 60+ e estudantes). Nossa recomendação é a compra desse ingresso com Museu + Rose Center adicionando o planetário. Reserve pelo menos 4h do seu dia para essa visita!


Uma dica boa para as crianças entre 6 e 13 anos de idade é a possibilidade de passar a noite - literalmente - no museu. É o programa “A Night at the Museum”.  O preço é bem salgado: $129 por pessoa pelo período de 6hs da tarde até às 9hs da manhã, e inclui: lanche noturno e café da manhã, missão de exploração dos fósseis de dinosauros durante a noite e filme IMAX. Cada participante deve trazer de casa: saco de dormir, travesseiro, lanterna, escova e pasta de dentes e toalha de rosto.





As datas são limitadas e a procura é grande, ou seja, se tiver interesse reserve com antecedência! As datas previstas para 2012 são: 25/05 (6f), 02/06 (sab), 22/06 (6f), 30/06 (sab), 21/07 (sab), 29/09 (sab), 05/10 (6f) e 20/10 (6f) - noite especial de Halloween! As reservas são feitas exclusivamente através do telefone +1 (212) 769-5200 (atendimento de 2f-6f de 9hs às 17hs). Para maiores informações clique aqui.

terça-feira, 22 de maio de 2012

[NY] The High Line

Um programa legal - e diferente- para fazer em Nova York quando a temperatura está mais quente é andar no High Line, um parque público elevado construído em uma histórica linha de transporte ferroviário, que manteve suas operações de transporte de leite e carne na década de 30 até 1980, quando foi desativada. Desde então, o local estava abandonado e em 1999 ficou ameaçado de ser demolido. Foi quando os moradores da região, em parceria com a prefeitura da cidade se uniram e revitalizaram o local com a contratação de uma renomada agência de paisagismo e arquitetura. O parque atualmente fica aberto todos os dias de 7hs às 22hs.



O High Line está localizado no West Side de Manhattan, começando no Meatpacking District, região com vários restaurantes e casas noturnas, e se estendendo até a região de Chelsea. É dividido em três seções, sendo que atualmente apenas as seções 1 e 2  já foram concluídas e liberadas para o público. A seção 1, inaugurada em 2009, se inicia na esquina da Gansevoort Street com Washington Street no Meatpacking District e se estende até a 20th Street com a Tenth Avenue. A seção 2, inagurada em 2011, vai até a 30th Street. A seção 3 ainda está em fase de construção e sem previsão de inauguração.


Uma coisa bem interessante é que como o parque é suspenso, as janelas dos prédios ao redor ficaram muito devassadas. Mas isso não é problema para os nova-iorquinos! Veja a solução prática - e engraçada - que a designer coreana Hyemi Cho criou para as cortinas das janelas:


Dica Yes You Can Travel: um programa legal é passear no High Line no fim da manhã, depois ir até o Chelsea Market e finalizar almoçando em um dos restaurante do Meatpacking. Uma boa dica para almoço é o Fig & Olive, leia a resenha gastronômica aqui.

Algumas informações práticas:
  • Como chegar:  as melhores linhas de metrô para chegar ao parque são: L (desça na estação 8th Avenue), A/C/E (desça na estação 14th Street), C/E (desça na estação 23rd Street), 1/2/3 (desça na estação 14th Street) ou 1 (desça na estação 18th Street ou na estação 23rd Street)
  • Entradas:  as entradas principais (escadas) para o parque ficam na Gansevoort Street, 14th Street, 16th Street, 18th Street e na 20th Street. Elevadores estão localizados nas entradas da 14th Street e 16th Street.
  • Banheiros e bebedouros: você encontra os banheiros na entrada da 16th Street e os bebedouros nas entradas da Gansevoort Street, 16th Street e 18th Street.
Para maiores informações sobre o High Line, clique aqui.


segunda-feira, 21 de maio de 2012

[Orlando] Reforma Test Track

Essa é uma novidade para os que já estão organizando a ida a Orlando ainda este ano: o Test Track, uma das atrações mais populares do Epcot, parceria da Disney com a GM Motors que simula os testes que são realizados nos automóveis antes deles serem colocados à venda, começou a passar por uma grande reforma, que está prevista para acabar em meados do próximo semestre.

A idéia da reforma, além de renovar a parceria Disney/GM, é tornar a atração mais interativa, fazendo com que os visitantes possam influir no conceito e design do carro e escolher qual trajeto eles querem fazer (subida, descida, aceleração, etc). Além disso, no final da atração poderemos ver um vídeo de tudo que foi testado com os passageiros dentro do automóvel, como ocorre nos testes reais.

Seguem algumas fotos de como essa experiência interativa deverá ficar:



Update: O Test Track foi reaberto dia 06/12, em Epcot. Dentre as mudanças, uma mudança total na estética da atração, sai o ar de fábrica cheia de pneus,  e faixas de segurança  e entra um ambiente mais futurista, com neon e gráficos que lembram muito o filme "Tron" (e que com certeza tem muito mais a ver com a proposta do parque em si). As criticas ate agora foram variadas, alguns gostaram do estilo futurista, outros sentiram falta do esquema industrial de antes...


domingo, 20 de maio de 2012

[Orlando] Otimização de tempo - Parques Temáticos

Os Parques Temáticos de Orlando ficam cheios o ano todo, principalmente na época de férias e fim de ano e feriados americanos. Seguem algumas dicas para que sua visita seja a mais divertida possível e que você consiga não só ir a todos os brinquedos, como também ter tempo para repetir os que mais gostou.

Dica 1: Trajeto Inverso
Comprovadamente as pessoas tendem a fazer o trajeto do parque pelo lado esquerdo, percorrendo toda a extensão até o final ao ponto de partida no final do dia. Dependendo do tamanho do parque, essa volta inteira pode durar apenas metade do dia, dando possibilidade do visitante percorrer mais uma vez esse trajeto, caso desejado.

Nossa sugestão, já comprovada, é que se faça o trajeto dos parques no sentido contrário, ou seja, da direita para a esquerda. Com isso, você pegará filas bem menores e poderá aproveitar muito mais seu dia.

Dica 2: “Furando Fila”
Os Parques Temáticos disponibilizam uma forma de furar a fila de forma “oficial”. Nos parques da Disney o serviço é gratuito, foi introduzido em 1999 e é chamado de Fast Pass. Ele garante sua entrada na atração sem pegar filas. Apenas algumas atrações possuem o serviço, que é disponibilizado por guichês em frente à entrada do próprio brinquedo, que ao inserir seu ingresso, imprime um ticket com um horário pré-definido para que você volte depois. A única desvantagem é que você só consegue pegar um novo Fast Pass em outra atração depois de algumas horas.



As atrações mais cheias e que, na nossa opinião, devem ter o Fast Pass garantido nos parques da Disney são: Magic Kingdom (Space Mountain, Peter Pan's Flight, Winnie the Pooh, Splash Mountain, Buzz Lightyear’s, Big Thunder Mountain e Jungle Cruise, nessa ordem), Epcot (Soarin!, Test Track, Mission Space, Captain EO e Maelstrom, nessa ordem), Hollywood Studios (Toy Story Mania!, Rock 'n'Roller Coaster, The Twilight Zone Tower of Terror e Star Tours, nessa ordem) e Animal Kingdom (Expedition Everest, Dinosaur, Kali River Rapids, Primeval Whirl e Kilimanjaro Safaris, nessa ordem).

Para saber mais detalhes sobre o sistema Fast Pass, clique aqui.

Os parques da Universal também possuem um sistema para o visitante entrar no início da fila, mas diferentemente dos parques da Disney esse sistema, que é chamado de Universal Express Plus Pass, é cobrado à parte e funciona como se fosse um talão com um bilhete destacável para cada atração, ou seja, é possível “furar a fila” uma vez em cada atração. Vale a pena? Sim, se você estiver disposto a pagar a mais e se o parque estiver realmente cheio.



O Universal Express Plus Pass custa entre $20.00 e $40.00 por pessoa (depende da época do ano e do dia da semana) e pode ser comprado online ou diretamente na bilheteria dos parques. Uma opção para baratear é comprar para ambos os parques, o custo unitário cai um pouco.

Infelizmente algumas atrações atualmente não estão incluídas no sistema como: Hollywood Rip Ride Rockit na Universal Studios e Harry Potter and the Forbidden Journey e Pteranodon Flyer no Islands of Adventure. Para saber mais detalhes sobre o sistema Universal Express Plus Pass, clique aqui.

Os parques Sea World e Busch Gardens também possuem um sistema chamado Quick Queue, também cobrado à parte, que permite que o visitante entre, apenas uma vez, na frente da fila das seguintes atrações: Manta, Kraken, Journey to Atlantis e Wild Arctic (Sea World) e Cheetah Hunt, SheiKra, Montu, Kumba, Stanley Falls Flume, Gwazi, Tidal Wave, Rhino Rally e Congo River Ride (Busch Gardens). O sistema custa entre $20.00 e $40.00 por pessoa (depende da época do ano e do dia da semana).


Caso queira “furar a fila”de forma ilimitada, existe também a opção do Quick Queue Unlimited, que custa entre $35.00 e $55.00 por pessoa (depende da época do ano e do dia da semana).

Para saber mais detalhes sobre o sistema Quick Queue, clique aqui.

sábado, 19 de maio de 2012

[NY] O MELHOR Hamburguer!

Apesar de Nova York ser uma cidade muito fácil para se comer de forma light, e como muitas opções de restaurantes, é impossível viajar para lá e não comer pelo menos um hamburguer, afinal os EUA têm toda a fama da junk food.

No entanto, se é para se comer um hamburguer, que seja um feito na hora, com carne fresca, pão assado no dia e salada delícia e não aquele sanduíche industrializado e meio sem gosto que a gente tá cansado de conhecer, não é mesmo? Em Nova York, temos algumas opções de hamburguers mais artesanais e até mesmo os hamburguers gourmet (feitos até com foie gras), mas isso é papo para um outro post, nesse eu quero falar do MELHOR hamburguer, que vocês encontram no Shake Shack.


O Shake Shack é uma lanchonete tipicamente nova iorquina que abriu em 2004 no Madison Square Park (perto do Flatiron District) e devido ao sucesso (filas imensas!), acabou crescendo de uns anos para cá, abrindo filiais em outros locais da cidade e também em Connecticut, Miami, Washington DC e, acreditem, Dubai e Kuwait (recentemente). E eles são tão bons no que fazem que não só o hamburguer é famoso lá, os milk shakes e o cachorro quente também são igualmente populares.


Quando você chega no local, normalmente tem uma fila, mas é muito rápida e organizada e logo você consegue fazer seu pedido. Após pagar o pedido, você receberá uma espécie de pager que vibra (igual aqueles que recebemos na cadeia de restaurantes Outback), isso porque eles só começam a preparar seu pedido na hora (tudo fresco!), e em cerca de 15 minutos você recebe sua bandeja prontinha e aí é partir para a diversão!


E se você é vegetariano e acha que essa dica não é para voce, enganou-se! No Shake Shack tem o "Shroom Burger", um hamburguer onde a carne bovina e substituida por um super cogumelo shitake, com queijo e salada tambem. Eu nunca comi, mas conheço váaarias pessoas que não o dispensam de jeito nenhum!



Para saber onde ir ao Shake Shack, é só clicar aqui.

terça-feira, 15 de maio de 2012

[NY] Transporte do Aeroporto

Quando programamos uma viagem para Nova York, uma das maiores duvidas que surgem é como ir do aeroporto para Manhattan. Nova York tem três aeroportos principais (JFK, Newark e La Guardia, para vôos internos) e há opções de transporte seguras, para todos os bolsos e perfis.

Metrô: essa é a opção mais barata, mas também a mais “perrengue”, pois você tem que carregar suas malas no metrô (se estiver com mais de uma, esquece, porque fica impossível) e além disso o metrô é uma opção somente se você estiver no JFK. Foi criado um sistema chamado “AirTrain JFK” que é um metrô específico para o aeroporto e que custa US$5,00 dólares a tarifa. 
O AirTrain sai do JFK e vai até as estações Howard Beach (linha A) e Sutphin Boulevard (linhas E, J e Z). De lá, você tem que comprar uma tarifa comum de metrô, que custa US$2,25 dólares e você segue para seu destino em Manhattan, que tem ser necessariamente uma das estações das linhas A ou E. 
O percurso todo leva em média 1 hora, gastando-se somente US$7,25 dolares por pessoa. Você pode ter mais informações aqui

Taxi: pegar o cab é uma opção bem popular, mas eu também não vejo como sendo a melhor opção, pois (1) você tem que ir para a fila do táxi, que muitas vezes é grande no aeroporto, (2) como turista você nem sempre sabe se o taxista é confiável e (3) dependendo do tamanho do taxi, ele só aceita 2 bagagens e mesmo assim no porta-malas. Em uma família de 4 pessoas, por exemplo, é impossível pegar somente um taxi, e acaba saindo caro.
Importante também é saber que o trajeto JFK-Manhattan tem um preço fixo de 45 dólares + pedágio (se houver) + 0,50 dólares de taxa do estado de NY. Vale lembrar que o taxista não pode combinar um preço diferente com o passageiro, é contra a lei.
Mais informações sobre taxis aqui
Super Shuttle: esse é o transporte em uma van com capacidade para até 9 passageiros. 
É uma forma de transporte coletivo que funciona muito bem e é barato, o único problema é que na maioria das vezes você tem que esperar um bom tempo pela van, o que faz com que a viagem como um todo acabe ficando mais longa (você pode ser deixado em seu destino final de forma rápida ou não, depende do caminho que o motorista fará para deixar todos os passageiros). 
Já houve vezes em que eu usei esse serviço e esperei 20 minutos pela van, o que considero ok, mas já houve casos em que aguardei mais de 1 hora e depois de uma viagem cansativa, a ultima coisa que queremos é ficar mofando no aeroporto...
A reserva pode ser feita online (aqui), por telefone ou quando você chega no aeroporto (existe uma área especifica para esses serviços em todos os terminais - Ground Transportation).
Dial 7: é um serviço de taxi particular e para mim é a melhor opção. Possui carros de todos os tamanhos e o atendimento é excelente, fora que o carro chega em no máximo 5 minutos  após a solicitação. 
As reservas podem ser feitas online (aqui), por telefone ou no próprio aeroporto, no desembarque, em uma área destinada aos serviços de transporte, chamada “Ground Transportation”. 
Nesta área há um painel grande os números dos serviços de taxi particular e uns telefones pretos, onde você liga de graça para o numero do taxi, confirma seu desembarque e informa o terminal onde está e eles te passam o numero do carro que irá lhe buscar e pronto! É só aguardar! O serviço custa em média 40 dólares + pedágio (se houver) + gorjeta (do La Guardia fica mais barato).


Obs: existem brasileiros que trabalham como motoristas, levando e trazendo brasileiros dos aeroportos, mas preferi comentar os meios de transporte mais populares e/ou que já utilizei.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

[Orlando] Crystal Palace

O Walt Disney World é um lugar mágico e disso ninguém duvida quando entra em um dos seus parques, seja adulto ou criança. Essa sensação de deslumbramento é potencializada no Magic Kingdom, onde tudo é realizado para que você realmente ache que está em algum local encantado.
O que pode tornar a experiência no Magic Kingdom ainda mais inesquecível é iniciar o dia com um belo café da manha no Crystal Palace (“Palácio de Cristal”). Trata-se de um restaurante, todo de vidro, no formato de um pequeno palácio, onde há um buffet onde são servidas as três refeições diárias, com destaque para o café da manhã.




Falando no dito cujo, o café da manha não é só bom, é excelente e vale cada dólar gasto. O esquema já inclui as bebidas (variedade de sucos, café e chocolate quente/frio) que são servidos na mesa. No buffet em si, há uma parte enorme com frutas, vegetais, cereais, depois os frios (torradas, queijos, biscoitos) e por fim os quentes, incluindo panquecas, waffles com cara de Mickey, ovos, omeletes feitas na horas, etc, ou seja, uma verdadeira fartura. 


Para completar o programa o Urso Pooh e amigos passam para cumprimentar as pessoas nas mesas, então se você estiver com uma criança, ótimo porque irá entretê-la, mas se você estiver somente entre adultos, vai ser divertido ir lá abraçar o Pooh e fingir que tem 10 anos de idade, nem que seja por 2 minutos, rsrs..
Dica 1: chegue mais cedo!
O Magic Kingdom sempre abre as 9h, mas o Crystal Palace abre as 8h para o café da manha, então a minha dica é marcar sempre mais cedo (por volta das 8h), pois assim você consegue entrar antes no parque, sem estar muito cheio, tirar fotos em frente ao castelo da Cinderela sem ninguém para atrapalhar e depois pode percorrer o parque com mais calma e sem se preocupar com a foto, que costuma ser a mais importante para as famílias em geral.
Dica 2: faça reserva!
Esse local é bastante disputado e o ideal é fazer uma reserva pela internet com no mínimo 4 semanas antes da viagem. Você pode fazer tudo isso pela internet.
Dica 3: programe-se!
O Magic Kingdom fica afastado do estacionamento (parking lot). Depois de estacionar o carro, as únicas formas de chegar ao parque são por monorail (um trem que se locomove por um único trilho) ou por ferryboat (uma espécie de balsa). Dependendo de onde você estiver hospedado em Orlando, programe-se para sair com pelo menos 1h de antecedência do horário reservado no Crystal Palace.

Dica 4: comemore!
Se for seu aniversário, primeira visita ao parque, aniversário de casamento, etc, avise a recepcionista quando você chegar, pois eles irão trazer uma pequena lembrança pela data.
Mais informações sobre o Crystal Palace aqui.

domingo, 13 de maio de 2012

[Orlando] Parques Temáticos

Os Parques Temáticos de Orlando se dividem em 3 grande grupos econômicos: Disney, Universal e Sea World. A Disney possui 4 parques temáticos (Magic Kingdom, Epcot, Animal Kingdom e Hollywood Studios) e 2 parques aquáticos (Blizzard Beach e Typhoon Lagoon), a Universal possui 2 parques temáticos (Universal Studios e Islands of Adventure) e 1 parque aquático (Wet ’n’ Wild) e por fim o Sea World possui 2 parques temáticos (Sea World e Busch Gardens - que fica em Tampa, a 1h30’ de Orlando), 1 parque de interação com golfinhos (Discovery Cove) e 1 parque aquático (Aquatica).


Além de todos esses parques, o grupo Universal possui um setor de entretenimento chamado City Walk, localizado na entrada dos seus parques temáticos e o grupo Disney possui também o seu setor de entretenimento chamado Downtown Disney, dividido entre Pleasure Island, West Side e Market Place, dentro da área dos seus parques temáticos.


Se você estiver programando sua viagem para Orlando, deve considerar alguns fatores antes de definir quantos dias ficará na cidade. A idade dos viajantes, se é um casal ou um grupo de amigos, se estão com crianças ou idosos, se gostam de atrações mais radicais como montanhas russas ou se preferem algo mais calmo como simuladores 3D e 4D podem indicar seus parques preferidos. A época do ano ano também é fator fundamental para essa decisão, já que feriados deixam os parques mais procurados muito cheios enquanto que durante o inverno os parques aquáticos ficam vazios, isso se não estiverem fechados.

Em geral, o mínimo recomendado para uma experiência completa em Orlando são 10 dias, assim divididos: Magic Kingdom (1 dia), Epcot (1 dia), Animal Kingdom (1 dia), Hollywood Studios (1 dia), Sea World (1 dia), Busch Gardens (1 dia), Universal Studios (1 dia), Islands of Adventure (1 dia), parque aquático ou repetir o parque que mais gostou (1 dia) e lógico, 1 dia reservado para compras porque ninguém é de ferro...